sexta-feira, 24 de março de 2017

O desespero do PT.

O Partido dos Trabalhadores (PT), que, mais do que nunca, não passa de um apêndice de Luiz Inácio Lula da Silva, deflagrará uma “guerra” caso seu timoneiro seja condenado pela Justiça em algum dos diversos processos nos quais é réu. Foi o que anunciou seu porta-voz mais fiel, o ex-ministro Gilberto Carvalho, em entrevista ao jornal Valor.

Carvalho não se preocupou, em nenhum momento, em contestar as acusações que pesam contra o Padrinho, pois obviamente não é disso que se trata – e se nem os ativos advogados de Lula da Silva conseguem alinhavar argumentos em sua defesa, por que Carvalhinho o faria? 

Para Carvalho, como para os petistas em geral, o único crime pelo qual Lula será condenado é o de ter ajudado os pobres. Por essa razão, ele entende que haverá uma mobilização tão grande em defesa de Lula que “eles pensarão duas vezes antes de fazer bobagem”, isto é: os tribunais não terão coragem de confirmar sua eventual condenação. Não há outra maneira de entender as inspiradas palavras de Carvalho – leia-se Lula. Ele aposta que a mística em torno do grande líder será capaz de levar a militância às ruas para intimidar os magistrados.

O PT sabe que, se os processos contra Lula forem tratados somente no âmbito jurídico, a derrota do petista é certa, e não porque a Lava Jato “persegue” Lula, mas sim porque, ao que tudo indica, sobram provas contra ele. Não é à toa que a equipe de advogados destacados para defender Lula, em vez de dedicar-se a refutar as acusações, foi até a ONU para denunciar a suposta perseguição política que estaria sendo empreendida pelo juiz Sérgio Moro contra seu cliente. Além disso, usa as audiências com Moro para irritar o magistrado, tentando fazê-lo sair do sério, o que daria argumentos para sustentar a tese de que ele age contra Lula por motivações pessoais.

Para essa gente, a democracia e suas instituições – especialmente a Justiça e a imprensa livre – são inimigas, pois trabalham com fatos, e os fatos a respeito do PT e de Lula são incontestáveis: o partido e seu demiurgo não apenas são os responsáveis pela pior crise econômica da história brasileira, mas também são as estrelas do maior escândalo de corrupção que já se viu no País. Logo, os petistas empenham-se em criar os chamados “fatos alternativos” – nome que se dá a mentiras e distorções criadas para embaralhar a realidade.

Assim, Gilberto Carvalho agride a realidade sem nenhum pudor. Primeiro, quer fazer crer que o PT foi na verdade vítima de grande injustiça por parte da “elite”, que “enxergava no PT a raiz e o máximo da corrupção e agora está vendo quem de fato assaltou o País”. Ao dizer que não foi o PT que “de fato” assaltou o País, Gilberto Carvalho aposta suas fichas na tese de que os brasileiros são todos idiotas.Comporta-se como se o PT não fosse o responsável pelo estado da arte que atingiu a corrupção no Brasil.

Segundo Gilberto Carvalho, a economia afundou depois que a presidente Dilma Rousseff “começou a mexer no andar de cima”, isto é, quando “fez a redução de juros, não privatizou as elétricas e começou a ir para cima da taxa de lucro das concessões”. Foi então que “o capital começou a perder e acabou a brincadeira”. Isso “acendeu esse ódio” e “radicalizou-se tanto que acabaram destruindo a economia do País”. Ou seja, Carvalho realmente pretende convencer os cidadãos, notadamente os desempregados, de que a responsabilidade pela crise não é dela, e sim de seus inimigos. 

Segundo Carvalho, o governo de Michel Temer está “destruindo a rede social de proteção que fizemos” e, por isso, “pode começar a ter sublevação social”.

É aí que entraria Lula, o Pacificador. O problema é que os “fatos alternativos” dos petistas podem não ser suficientes para esconder a dura 
realidade de que, além de Lula – que pode não concorrer em razão de seus enroscos com a Justiça –, o PT não tem outro candidato. “Depois do Lula, quem?”, perguntou Gilberto Carvalho. Ao admitir que, sem Lula, o PT pode apoiar Ciro Gomes ou Roberto Requião à Presidência, o ex-ministro deu a exata dimensão do desespero petista.
*Editorial Jornal O Estado de São Paulo

Horas antes do atentado em Londres, presidente Turco disse que europeus não estariam seguros.

Enquanto ainda se desdobram os fatos havidos em Londres, com muitos detalhes a serem revelados, chama atenção uma fala no mínimo desastrosa do presidente turco Recep Tayyip Erdogan, tratando da recente crise entre seu país e a União Europeia, cujo auge se deu nos episódios da Holanda.
Ele disse, em suma, que nenhum europeu estaria seguro nas ruas, sem ir mais além no que queria dizer. Para piorar, dias atrás ele afirmou que o futuro da Europa seria o aumento de turcos, que deveriam ter cinco filhos enquanto a população europeia se reduz.
O momento, enfim, pede cautela. As declarações de Erdogan vão no sentido oposto e certamente servirão para alimentar reações hostis. Um desserviço completo. Mas, depois, não podem culpar os outros.
@Via O Implicante

quarta-feira, 22 de março de 2017

A defesa de 'Lula Brahma' começa a pular fora do barco.


Segundo a imprensa, Juarez Cirino dos Santos, advogado do ex-presidente, ex-palestrante, Réu e ator Lula da Silva, após manifestar a maior admiração pela atuação do sindicalista, criador e dirigente do Partido dos Trabalhadores e Presidente da República”, na última sexta-feira, 17, informou ao juiz Sérgio Moro que estava renunciando à defesa do ex-presidente Lula nas ações a que o petista responde na Lava Jato.
O interessante é que esse advogado era quem mais questionava as decisões do juiz Sérgio Moro. Inclusive em uma das audiências, Juarez Cirino protagonizou um dos mais tensos embates entre defensores de Lula e o juiz da Lava Jato. Na oportunidade, Moro, de forma incisiva, ordenou a Cirino: “o sr. respeite o juízo! ”.
O embate ocorreu no dia 12 de dezembro de 2016, durante o depoimento de Mariuza Aparecida Marques, funcionária da empreiteira OAS, encarregada pela supervisão do Tríplex do Guarujá, Cirino, desafiando o Juízo chamou Moro de “acusador principal”.
No entanto, sem dizer o motivo pelo qual estava pulando fora do barco, Cirino simplesmente, caiu fora ou foi empurrado.

terça-feira, 21 de março de 2017

No The Noite, Bolsonaro mostra a humildade que falta aos petistas.

O deputado Jair Bolsonaro foi o entrevistado no programa “The Noite” de Danilo Gentili nesta segunda. Falou bastante do nióbio, que julga ser um recurso inexplorado no Brasil e que mereceria mais investimentos para agregar valor para exportação, e também de segurança, defendendo abertamente o direito individual de posse de arma e o fim da mentalidade que transforma bandido em “vítima da sociedade”.
Essa pegada pela ordem é, sem dúvida, a marca mais forte do provável candidato a presidente em 2018. O povo, cansado da inversão de valores na sociedade, do discurso de vitimização dos marginais e da revolução cultural “progressista”, enxerga em Bolsonaro alguém com a coragem e a determinação de comprar essa briga, de reverter esse quadro.
É na economia, porém, que ele escorrega mais. Ainda carrega um ranço nacionalista que incomoda bastante os liberais, coloca-se contra privatizações e mesmo na questão do nióbio deixa transparecer um viés estatizante não condizente com o liberalismo. Mas tem uma grande vantagem em relação aos esquerdistas estatizantes: humildade para reconhecer que não domina o tema.
*Com Rodrigo Constantino

Tony Ramos fala sobre a Friboi.

video
O ator Tony Ramos fala a Jovem Pan sobre sua participação nos comerciais da Friboi.

sábado, 18 de março de 2017

Grampo mostra que Osmar Serraglio tratava como "chefe" um dos líderes da Carne Fraca.


O ministro da Justiça, Osmar Serragli, que está em Porto Alegre, apareceu nesta sexta-feira em conversa gravada pela Polícia Federal durante as investigações da Operação Carne Fraca, que apura um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos, com 309 mandados em 6 estados e no Distrito Federal.

Em uma ligação grampeada, Serraglio, que na época era deputado e não ministro,  chama de “grande chefe” um dos líderes do suposto esquema, o ex-superintendente regional do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) Daniel Gonçalves Filho.

Delegados da Polícia Federal não acreditam que ele tenha cometido algum crime no caso, mas as informações serão repassadas à Procuradoria-Geral da República.

Veja a transcrição da conversa:

- Osmar Serraglio: grande chefe, tudo bom?
- Daniel: tudo bom
- Osmar: viu, tá tendo um problema lá em Iporã, cê tá sabendo?
- Daniel: não
- Osmar: o cara lá, que... o cara que tá fiscalizando lá... apavorou o Paulo lá, disse que hoje vai fechar aquele frigorífico... botô a boca... deixou o Paulo apavorado! Mas pra fechar tem o rito, num tem? Sei lá. Como que funciona um negócio desse?
- Daniel: deixa eu ver o que acontecendo... tomar pé da situação lá tá... falo com o Senhor (...)
saiba mais

Em evento no Rio Grande do Sul, Serraglio comentou o conteúdo da conversa gravada.
"Esse frigorífico fica a uns 50 km da minha cidade. É o frigorífico que um dia recebeu, eu tô sabendo pelo que eu olhei na imprensa, porque telefonema a gente dá e muito. Eu recebi um comunicado dizendo que iriam fechar o frigorífico", afirmou o ministro."Aí eu liguei pra quem, a expressão que a imprensa tá explorando de alguma maneira porque eu chamei de chefe, ele é o chefe, aquele cidadão com quem eu falei é o superintendente do Paraná da Agricultura."

O país da fraude.

Brasil: a gasolina é álcool, a cerveja é suco de milho, o azeite é óleo de soja, o leite é soda cáustica, o café é cevada, o pão de trigo é feito com polvilho, a mulher que foi capa do ano da Playboy em 1984 era na verdade um homem e a carne fresca é reciclada. Aqui o sujeito é a favor do aborto mas contra a pena de morte, acha que beber cerveja faz mal mas fumar maconha não, denuncia o feminicídio mas apóia a redução da pena por estupro, defende plebiscito pro povo opinar sobre reforma trabalhista mas não pra casamento gay, e acha que cada um deve ter liberdade pra cheirar cocaína, mas não pra se defender usando arma de fogo. E vocês realmente acham que votar a cada 4 anos vai resolver alguma coisa?

sexta-feira, 17 de março de 2017

Autêntica máfia de políticos continua querendo brecar a Operação Lava-Jato.

As delações dos diretores e ex-diretores da empreiteira Odebrecht, a maior do país, serviram para mostrar ao mundo que possuímos uma autêntica máfia cujos principais integrantes são o presidente do Senado Federal, Eunício de Oliveira (PMDB-CE), da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ministros, governadores e parlamentares, todos sob o comando do ex-governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, hoje atrás das grades, onde também está encarcerada sua mulher Adriana Ancelmo, pelas mesmas razões. Esse grupo hoje tem um mesmo objetivo: desqualificar a Operação Lava-Jato, que nos últimos três anos, sob a liderança do juiz Sérgio Moro, tem mostrado ao mundo o tamanho da roubalheira que vem destruindo o Brasil e colocando no esgoto a credibilidade dos nossos políticos. A lista do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, obriga o presidente Michel Temer a afastar do Governos todos os ministros envolvidos, bem como senadores e deputados deveriam praticar um ato de alguma dignidade, que seria o afastamento de seus cargos até a conclusão dos processos;
Disso tudo se conclui um fato: o Supremo Tribunal Federal (STF) não pode continuar sendo lento. Cabe à Corte aceitar todas as solicitações de Rodrigo Janot. Os cidadãos brasileiros tem necessidade de dar credibilidade ao Governo e principalmente ao Poder Judiciário. Somente assim os homens públicos poderão provar que além de honestos também se parecem honestos. O que não podem mais é ficar tramando soluções sobre a legalidade ou não do "Caixa 2". Eles não podem ser tratados de modo diferente de qualquer pessoas. Basta perguntar à Receita Federal qual seu procedimento quando o cidadão comum é descoberto com um "Caixa 2" na sua contabilidade pessoal ou empresarial. Não pode de jeito nenhum prevalecer aquela tese do ex-presidente Lula lançada em 2005, quando flagrado no "Mensalão do PT" de que o partido fez o que todos os partidos sempre fizeram. Muito menos cabe a um ministro do STF, Gilmar Mendes, defender tal teoria e ainda achar tudo normal. É o que não podemos deixar de gritar contra esse verdadeiro deboche vindo desse time de mafiosos.

http://pontoetvirgula.blogspot.com.br/2017/03/autentica-mafia-de-politicos-continua.html

quarta-feira, 15 de março de 2017

Fogo amigo?

 
MST invade fazenda de Eike Batista em Minas Gerais.
Quando era milionário e amigo do famigerado “Lula Brahma”, Eike Batista, estava blindado e protegido. Hoje, preso e ignorado pelo ex-presidente, teve o desprazer de assisti o Movimento Sem Terra - MST, aquele que o governo Petista sempre sustentou, de uma hora para outra, resolver invadir as propriedades do ex-marido de Luma de Oliveira que, possivelmente, acredita-se, ter obtido a sua grande fortuna no rolo da corrupção desenfreada, que há tempo impera no Brasil
Mulheres integrantes do Movimento dos Sem-Terra (MST) invadiram nesta quarta-feira (8) uma fazenda de Eike Batista em Itatiaiuçu, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG). A Fazenda Santa Terezinha tem 3 000 hectares e estaria improdutiva segundo o MST.
De acordo com a Polícia Militar, um advogado de Eike registrou a ocorrência na Polícia Civil para entrar com pedido de reintegração de posse. A reportagem não conseguiu contato com a defesa do empresário.
*Via Veja/Abril.