sábado, 31 de dezembro de 2011

FELIZ ANO NOVO

Meus sinceros desejos de um novo ano cheio de esperanças, amor, paz, saúde, respeito, democracia e que nos oportunize uma mudança que nos resgate a honestidade, ética e responsabilidade na política brasileira!
Afinal, sonhar não custa nada!
Um forte abraço!

Até sítio cara pálida?

O cara-pálida e suas propriedades
O EX presidente o Enfermo Tio Chico Defuntus Sebentus, vai passar as festas de final de ano no sítio de sua propriedade em Atibaia.
Até aí nada demais, mas o que me incomoda de verdade é lembrar que até 2002 o Sebentão morava em São Bernardo em um imóvel "emprestado" do empresário Roberto Teixeira. Que depois da posse do "apadrinhado" teve uma "certa" participação na estranha e imoral venda da Varig. E se não me engano durante essa época teve suas contas pessoais pagas por Paulo Okamoto que depois acabou sendo "agraciado" com uma boquinha como presidente do Sebrae.
Ou seja, o Sebento até assumir o poder não tinha nem onde morar, já que morava de favor. Após a posse morou no Palácio da Alvorada, e depois que sai do governo vemos que além de apartamentos no Guarujá, em São Bernardo, tem um sítio em Atibaia. E sabe-se-la o que mais.
 Sem contar que durante o bota fora da presidência arrastou 11 caminhões de badulaques, quinquilharias e alguns objetos de arte amealhados durante os 8 anos em que esteve a frente do DESgoverno. Fora as trés aposentadorias que recebe, sendo uma delas livre de IR.
O filho se torna mega empresário em uma meteórica carreira que parte de monitor de zoológico para sócio de várias empresas entre elas uma que recebeu 5 milhetas em investimentos públicos para seu fomento.
A premera muda que comeu feijão segurando o prato nas mãos por décadas, se tornou uma "japonesa" de tantas plásticas e botox que usou para melorá o shape, e não esqueçamos o volume em dinheiro que ela torrou nos cartões corporativos, nunca trabalhou um dia sequer pelo país e hoje leva vida de madame. Claro que de pés sujos, mas uma madame.
 Ainda consegue cidadania italiana para ela e toda a ninhada em uma visível demostração de ignorância e afrontando a população do país, pois uma primeira dama que em vez de pensar num Brasil melhor, prefere uma cidadania estrangeira para assegurar o futuro da ninhada. è de phoder!!
E segundo dizem por aí, o Sebentinho comprou uma fazenda de quarenta e sete milhetas na alta noroeste paulista, mais precisamente em Valparaíso, uma cidade que fica entre Araçatuba e "NEVERLANDradina."
Quando eu lembro de uma propaganda política lá nos anos 90 que dizia que o "Sebento é um brasileiro igual a você" que eu ficava iradíssimo por conta da comparação, fico ainda mais indignado por ver que esse espertalhão que segurou a bandeira da ética e da moralidade na política por mais de duas décadas, na verdade queria apenas iludir os esquerdofrênicos de boa fé. Pois assim que assumiu o poder seu projeto de vida era se dar bem. E foram 8 anos cavando os cofres públicos em busca do pote de ouro da imoralidade e da bandalheira.
E hoje quando olho, e analiso essa situação, percebo que esse espertalhão fez muito mais para si próprio e sua família em matéria de "enriquecimento pessoal" em 8 anos de poder do que muito empresário que trabalha a 30/40 anos dando empregos e pagando impostos e salários.
Mas isso é Brasil.
A terra da caridade e da oportunidade.
Para poucos, of course.
*O mascate

Meu país: uma grande decepção.

Neste último dia de 2011 sinto profundas angústias e decepções com esta sociedade que habita meu país.
A última das decepções, a maior, foi reconhecermos que nossa Justiça já se apresenta sem nenhum pudor ético ou moral como uma fiadora das ilicitudes do Covil de Bandidos em que se transformou o Poder Público durante os desgovernos petistas, em meio de uma incontrolável degeneração das relações públicas e privadas.
Entraremos 2012 governados por um Regime Ditatorial Civil Fascista com o Poder Executivo transformando os outros poderes em lacaios de um projeto do domínio do país por uma burguesia pública que aparelhou e colocou o Estado a serviço de um partido político, com o apoio de oligarquias e burguesias privadas que se venderam encantados pelos cantos da sereia da corrupção e do suborno.
Estamos nos referindo a um regime fascista que se impôs depois do Regime Militar, sem tiros nem mortes revolucionários – exceto algumas pontuais – graças ao DNA da ilicitude, da covardia e da omissão que, infelizmente, temos que reconhecer, é o pilar histórico da formação e do comportamento social do nosso país e a semente da fraude da abertura democrática.
À meia-noite vamos assistir, em todo o país, queimadas de milhões de reais em fogos enquanto dezenas ou centenas de pessoas estarão sendo assassinadas, por exclusiva responsabilidade de um poder público que se encontra em estado de imersão quase irreversível nas águas profundas da degradação moral imposta pela máfia da corrupção que tomou conta do Estado.
Enquanto a hipocrisia de um FELIZ ANO NOVO é anunciada pelos sórdidos da política prostituída os canalhas esclarecidos públicos e privados estarão comemorando a idiotice e a imbecilidade quase coletivas que tomaram conta do país em tempos do Circo do Retirante Pinóquio.
A parcela da sociedade honesta e digna não terá um FELIZ ANO NOVO e todos sabem disso, mas isso pouco importa já que a boiada da ignorância e da desonestidade social se deixa conduzir pelos canalhas públicos e privados sem qualquer reação digna do respeito que todos deveriam pelo futuro de seus filhos e de suas famílias.
Um FELIZ ANO NOVO terão a sórdida classe política e todos àqueles que têm o ilícito como o instrumento preferencial de suas lutas pela riqueza a custa do trabalho dos outros.
Um FELIZ ANO NOVO terão os cúmplices dos bandidos vestidos de toga que querem impedir o CNJ de punir juízes corruptos e que mantêm, de forma absolutamente vergonhosa, livres, leves e soltos os 41 quadrilheiros do mensalão que transformaram o Poder Legislativo em cúmplice do PT na prática dos crimes de corrupção e prevaricação.
Um FELIZ ANO NOVO terão centenas de representantes das classes dos estudantes universitários, dos artistas, da academia, do jornalismo, todos os que se venderam e continuam vendendo seus préstimos àqueles que estão destruindo nosso país.
Quando uma sociedade entrega pacificamente o futuro de seus entes queridos nas mãos de bandidos presentes e futuros, permitindo que seu país seja transformado em um Paraíso de Patifes, um dos maiores centros de lavagem de dinheiro sujo do mundo, já não merece mais respeito de ninguém.
Não merecemos nem mesmo o respeito dos que são derrotados com bravura em uma guerra suja merecem ter.
Não nos respeitam os canalhas, terroristas e seus cúmplices que estarão comemorando, na passagem do ano, suas vitórias diante de milhões de ignorantes vítimas da Fraude da Abertura Democrática com o apoio e a cumplicidade dos canalhas esclarecidos que se tornaram meliantes a serviço dos sórdidos comuno-sindicalistas que fizeram de uma idéia de revolução um projeto de enriquecimento criminoso e ilimitado à custa dos contribuintes e da transformação do país em escravo de um Regime Fascista, uma revolução que está sendo conduzida de direito por uma apadrinhada do mais sórdido político da história do país e de fato pelo maior dos canalhas que a história do mundo ocidental há de registrar.
Em 2012 teremos a confirmação de que os bandidos da corrupção e seus cúmplices canalhas esclarecidos somente nos deixaram uma única saída para libertar o país; todos os que ainda não se venderam sabem qual é, faltando apenas homens e mulheres dispostos a derramar seu sangue para salvar seus filhos e suas famílias da subordinação a um Regime Fascista Civil genocida, porque subtrai do Estado bilhões de recursos – foram mais de 700 nos últimos dez anos – que impedem o poder público de cumprir com suas obrigações sociais condenando à morte milhares de cidadãos todos os anos pela falência da saúde, da segurança pública, do saneamento, da educação e da cultura.
“FELIZ ANO NOVO”!
*Texto por Geraldo Almendra, por e-mail, via resistência democrática.

Descrição preciosa.

Paraíso é aquele lugar onde o humor é britânico,
os cozinheiros são franceses, os mecânicos são alemães,
os amantes são brasileiros e tudo é
organizado pelos suíços
Inferno é aquele lugar onde o humor é alemão,
os cozinheiros são britânicos, os mecânicos são franceses,
os amantes são suíços e tudo é
organizado pelos brasileiros.

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher.

A bela cantora Beyoncè

Retrospectiva Google.

O ridículo Chavez.

O Chavez não se cansa de ser ridículo e patético. Eu iria questionar como é que o povo da Venezuela vota em tal figura, aí eu lembro que o povo brasileiro vota em Lula, em Dilma, em Tiririca, em Jader Barbalho e em tantos outros que deixam o Chavez no chinelo em termos de patético e ridículo.
Eu acho que nenhum outro povo, na face da terra, gosta tanto de ser governado por lixo como o brasieleiro.
*Ester Azoubel, por email, via resistência democrática

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

A Coréia do Norte, miserável, teima em ser uma ditadura comunista

Já haviam dito muito coisa sobre a Coréia do Norte, mas nem o comunista mais tarado ousou chamar o país de “próspero”. Boa parte dos estimados 22 milhões de norte-coreanos passa fome. No campo, há relatos freqüentes de… canibalismo! Antes que eu publique a íntegra da nota dos preclaros camaradas do PC do B, exibo duas imagens. A primeira é um mapinha das duas Coréias (a comunista é a vermelha…), para que vocês possam  entender a imagem seguinte.

Muito bem. Agora vejam uma imagem de satélite que registra as duas Coréias à noite. A capitalista, do Sul, hoje um dos países mais desenvolvidos do mundo, é praticamente tomada pelas luzes, sem áreas escuras. Dêem uma olha na Coréia do Norte. É o que o PC do B chama de “economia socialista próspera”.
Agora que vocês podem perceber de forma muito clara (!!!) o que é a prosperidade da Coréia do Norte.
*Extraído da postagem de Reinaldo Azevedo

Brasil é líder mundial no setor de agroenergia

A agroenergia é responsável por cerca de 32% da energia ofertada no Brasil, o que coloca o país na liderança mundial do setor. Quase 48% do total de energia ofertada é obtida de fontes renováveis, como a biomassa, a energia hidroelétrica e os biocombustíveis. A situação brasileira destaca-se no cenário internacional, pois 85% da energia consumida no mundo vem de fontes não-renováveis, que se encontram na natureza em quantidades limitadas e se extinguem com a utilização. Uma vez esgotadas, as reservas não podem ser regeneradas. Exemplos disso são o petróleo, o gás-natural e o carvão mineral.
O Brasil conta com características que favorecem a liderança no setor, como a grande extensão territorial e os recursos naturais que possibilitam ampliar a produção de insumos energéticos provenientes da biomassa. Os avanços na substituição de combustíveis fósseis por biocombustíveis, como o etanol e o biodiesel, servem de modelo para outras nações.
Os biocombustíveis são derivados de biomassa renovável que podem substituir, parcial ou totalmente, combustíveis derivados de petróleo e gás natural em motores a combustão ou em outro tipo de geração de energia. Os dois principais biocombustíveis líquidos usados no Brasil são o etanol, extraído de cana-de-açúcar, e o biodiesel, produzido a partir de óleos vegetais ou de gorduras animais e adicionado ao diesel de petróleo em proporções variáveis. Os dois emitem menos compostos químicos poluidores do que os combustíveis fósseis no processo de combustão dos motores. Além disso, o processo de produção é mais limpo.
Vantagens
A adoção do etanol é considerada um dos principais mecanismos de combate ao aquecimento global, pois reduz as emissões de gás carbônico (CO2). Parte do CO2 emitido pelos veículos movidos a etanol é reabsorvido pelas plantações de cana-de-açúcar. Isso faz com que as emissões do CO2 sejam parcialmente compensadas. O etanol pode ser produzido a partir de diversas fontes vegetais, mas a cana-de-açúcar é a que oferece mais vantagens energéticas e econômicas.
Os automóveis que circulam no país usam dois tipos de etanol combustível: o hidratado, consumido em motores desenvolvidos para este fim, e o anidro, que é misturado à gasolina, sem prejuízo para os motores, em proporções que podem variar de 18% a 25%.
Na comparação com o diesel de petróleo, o biodiesel também tem significativas vantagens ambientais. Estudos do National Biodiesel Board (associação que representa a indústria de biodiesel nos Estados Unidos) demonstraram que a queima de biodiesel pode emitir em média 48% menos monóxido de carbono; 47% menos material particulado (que penetra nos pulmões); e 67% menos hidrocarbonetos.
O biodiesel é um combustível produzido a partir de óleos vegetais ou de gorduras animais. Dezenas de espécies vegetais presentes no Brasil podem ser usadas na produção do biodiesel, entre elas soja, dendê, girassol, babaçu, amendoim, mamona e pinhão-manso. Desde 1º de janeiro de 2010, o óleo diesel comercializado em todo o Brasil contém 5% de biodiesel. O Brasil está entre os maiores produtores e consumidores de biodiesel do mundo, com uma produção anual, em 2010, de 2,4 bilhões de litros e uma capacidade instalada, de 5,8 bilhões de litros. (Ministério da Agricultura) (Canal UOL)
COMENTÁRIO: Vale lembrar que o proÁlcool, hidroelétricas como Itaipu e a concepção do biodiesel foram ideias dos militares. Senão daqui a pouco aparece alguém dizendo que "nunca na história deste país..." ( André Bereta)

Embroma Brasil

Juízes recebem benefício por anos em que eram advogados

O Tribunal de Justiça de São Paulo concedeu a 22 desembargadores licenças-prêmio referentes a períodos em que eles trabalharam como advogados, anteriores ao ingresso no serviço público, informa reportagem de Flávio Ferreira, publicada na Folha desta quinta-feira (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).
Em dois casos, o benefício referente ao período em que atuaram por conta própria chegou a um ano e três meses --ou 450 dias.
A corte também é investigada pelo CNJ por supostos pagamentos de verbas relativas a auxílio moradia de forma privilegiada. O conselho apura ainda possíveis casos de enriquecimento ilícito.

Cegueira

"Apologistas tendem a enaltecer o primeiro ano da presidente Dilma.
Dizem que, afinal, o governo aprovou tudo o que quis e, ademais, os índices de popularidade - comparados aos dos antecessores - são provas cabais de sucesso.
Nada é tão simples: o Executivo enviou ao Congresso somente o inevitável e, ainda assim, não aprovou tudo.
Temeroso, não encarou conflitos nem arcou com os elevados custos de negociação para uma nova agenda."
* Jornalista Carlos Melo, em O Estado de São Paulo.

Políticos cada vez mais "complicados" ...no entanto é preciso ter fé!

"Jucá,Sarney,Renan e Jader no Senado... Meu Deus!"
*Senador Pedro Simon (PMDB/RS), demonstrando desconforto com correligionários

Vermelhos em guerra.

PT se prepara para guerra e já ameaça o PSB
O presidente nacional do PT, Rui Falcão, diz preparar-se para o embate contra o PSB, em 2014, e ainda garante que a orientação é da presidenta Dilma. Os petistas estão a cada dia mais desconfiados com o comportamento do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, principal estrela do PSB. Dizem abertamente que o PSB não pode insistir numa atitude independente, ou será tratado como inimigo.O crescimento do PSB e sua política de aliança já levou até Lula a fazer reparos às atitudes do governador Eduardo Campos, seu xodó.
*Coluna do Claudio Humberto

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Travesti quer se candidatar a vereadora na cota feminina do PT.

Andrieelly, a cara do PT - Foto: Divulgação
"É meu direito’, diz Andrielly Vogue sobre  disputar vaga na Câmara Municipal de Curitiba. Sua "madrinha política" é a ministra Gleisi Hoffmann.
SÃO PAULO - A travesti Andrielly Vogue é oficialmente pré-candidata a Câmara  Municipal de Curitiba pelo PT. Andrielly foi candidata em 2008 e tentou se  candidatar para a Assembleia Legislativa em 2010, quando acabou ficando de fora  da lista de candidatos por decisão do partido, o PT.
- Fiquei muito decepcionada – disse ela, que cogitou deixar a legenda.
Sua madrinha política é a ministra Gleisi Hoffmann que lhe abriu as portas da  convenção dos pré-candidatos petistas. A travesti quer concorrer na cota  feminina - a lei exige que pelo menos 30% dos candidatos de um partido a uma  eleição proporcional sejam mulheres - e diz que já frequenta a Câmara  diariamente.

Hugo Chávez encerra o ano com o "Oscar da piada pronta".

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, qualificou nesta quarta-feira como "muito estranha" a sucessão de diagnósticos de câncer de vários líderes e ex-presidentes da América Latina e levantou a possibilidade de alguém ter desenvolvido "uma tecnologia para induzir" esta doença. Em um ato de promoção de militares transmitido em cadeia nacional de rádio e televisão, Chávez inclusive recomendou cuidados extras a Evo Morales, presidente da Bolívia, e Rafael Correa, do Equador.

Depois que nesta terça-feira foi divulgado que sua colega argentina, Cristina Fernández de Kirchner, tem um tumor na glândula tireóide, Chávez, que está se recuperando de um câncer, considerou que "é muito difícil explicar" o que está acontecendo. O venezuelano frisou que não quer "lançar nenhuma acusação temerária", mas questionou: "Seria estranho que tivessem desenvolvido uma tecnologia para induzir o câncer e ninguém saiba até agora e se descubra isto apenas dentro de 50 anos?".

Nesse contexto, Chávez lembrou o caso de centenas de guatemaltecos submetidos a experimentos com sífilis por parte dos Estados Unidos nos anos 1940. "Não sei, só deixo a reflexão, mas isto é muito, muito, muito estranho", sustentou o presidente, que foi operado de um tumor na região pélvica no último dia 20 de junho.

Chávez lembrou que, com o diagnóstico de Cristina, já são vários os líderes da região que passaram por esta situação, como a presidente Dilma Rousseff e seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente do Paraguai, Fernando Lugo. O venezuelano também mencionou o líder cubano Fidel Castro, que se afastou do poder em 2006 por uma doença não confirmada oficialmente, mas que acredita-se também possa ser câncer.
"Fidel sempre me disse: Chávez, tome cuidado, esta gente desenvolveu tecnologias, cuidado com o que come, cuidado com uma pequena agulha e te injetam não sei o quê", relatou ao lembrar uma conversa com o cubano. "Em todo caso, repito, eu não estou acusando ninguém, só estou fazendo uso da minha liberdade para refletir e emitir comentários perante fatos muito estranhos e difíceis de explicar", concluiu.
Fonte: Notícias terra

Jader toma posse e já leva R$ 56.900,00 do contribuinte.

Foto: Sérgio Lima/Folhapress
Dez anos após sua renúncia ao Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA) voltou ao cargo ontem, quarta-feira (28), e já vai ganhar uma "bolada" do Senado.
Em sessão extraordinária convocada pela mesa do Senado, durante o recesso, ele foi empossado pela presidente em exercício, Marta Suplicy (PT-SP).
Poucos deputados e senadores acompanharam, como o líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), e o deputado Francisco Escórcio (PMDB-MA).
Durante a posse, seu filho menor, Daniel, fez muitas caretas, chegando até a fazer questionamentos ao pai no final de entrevista coletiva.
Pelos quatro dias desse mês de dezembro, Jader deverá receber cerca de R$ 3.500, além de uma ajuda de custo de R$ 26,7 mil paga a todo parlamentar no final do ano.
O salário integral de janeiro, de R$ 26,7 mil, também será pago integralmente.
Vamos pagar nossos impostos em dia, gente!!!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Minhas férias, seus impostos.

Foto: Apu Gomes/Folhapress
O merecido descanso, para quem trabalhou tanto...ufa!!! Aí está Dilma Rousseff, "a presidenta", curtindo a praia de Inema, privativa da Marinha, a cerca de 42 km de Salvador-BA.
O descansinho nos custará cerca de 650 mil reais....
Descansa Dilma! Diz o povo: "Tô pagandooo"!!!!

Acredite: Papai Noel, é você!

Clique na imagem para ampliar
Não, não é todo mundo que é filho de Papai Noel. Só alguns, como: 
1 - O senador Jader Barbalho. O Senado está em férias, mas a Mesa se reunirá extraordinariamente neste dia 28 de dezembro para dar posse a Sua Excelência. Assim, ele receberá R$ 30.283,13 - ajuda de custo de início do ano legislativo, mais quatro dias de salário de dezembro, e estará livre da maldição bíblica de ganhar o caviar com o suor de seu rosto. Em janeiro, ainda sem trabalhar um só dia, Jader receberá R$ 26.723,13 de salário. Em fevereiro, recebe o dobro: o salário e, de novo, a ajuda de custo do início do ano legislativo.
2 - Os deputados estaduais de Pernambuco. Quem exerceu o mandato entre setembro de 1994 e dezembro de 1997 tem direito, por ato administrativo da Assembléia, a receber pouco mais de R$ 1 milhão, a título de auxílio-moradia - mesmo que seu domicílio estivesse no Recife, bem pertinho do local de, digamos, trabalho. Recebem auxílio para morar na própria casa. Falemos só desses casos, em que o escândalo é maior: o caro leitor nunca imaginou receber aluguel para morar na própria casa. E a que partidos se filiam os parlamentares beneficiados pela falta de vergonha? PT, PSDB, PSC, PV, PCdoB, PP, PSD. Ah, o detalhe final: como a dinheirama se refere a tempos idos, já vem com juros mensais.
E, claro, não são apenas estes os filhos de Papai Noel. Há muitos, muitos mais, que o Bom Velhinho mantém numerosa prole.
Mas há também uma boa notícia, um segredo que agora lhe será revelado: caro leitor, o Papai Noel é você.
* Idacil Amarilho, por e-mail, via Resistência Democrática.

Brasil pendura a posição de PIB no pescoço e esconde a posição de IDH no bolso.

E o governo petista fanzendo oba oba porque o PIB do Brasil ultrapassou o Reino Unido?
Masescondem que a diferença de IDH (Indice de Desenvolvimento Humano) continua a mesma: Reino Unido: 28º lugar - Brasil: 84º lugar.
A IDH do Brasil esta para UK como o do Maranhão pra Suécia, o Brasil consegue ter um IDH menor que o das Ilhas Maurício (um cafundó do Oceano Índico) e da Sérvia (passou por guerras e boicote da UE).
A subida muito mais rápida do PIB que do IDH exprime com razoável precisão as escolhas (e alianças) estratégicas feitas pelo governo do PT.
* spitswann por e-mail, via resistência democrática.

Onde está Pimentel?

Por essa, Papai Noel não esperava. Trouxe de presente para Fernando Pimentel sua permanência no Ministério do Desenvolvimento, mas não consegue entregar o embrulho ao ministro embrulhado.
Pimentel sumiu. Da última vez em que foi procurado em seu gabinete, tinha ido a Genebra para a reunião da OMC. Mas não foi visto na sessão de abertura do evento, nem na reunião dos países emergentes sobre comércio.
Evidentemente, um homem capaz de faturar R$ 2 milhões em dois anos como consultor não iria passear na Suíça com o dinheiro do contribuinte.
Mas que ele estava lá, estava, porque foi visto por jornalistas no aeroporto de Genebra. Ou talvez fosse um sósia, porque falou em inglês com repórteres brasileiros – “no more”, para dizer que não ia mais falar.
Devia mesmo ser um sósia, porque ministro dizendo “nada a declarar” à imprensa não existe mais, desde o fim da ditadura militar. E Pimentel é ministro do governo popular, ex-guerrilheiro da esquerda.
Onde estaria então o verdadeiro Fernando Pimentel? Muitos acham que ele deveria estar no Congresso Nacional, dando as explicações que o país espera. Mas o ministro também não apareceu por lá.
Tentando reconstituir o caminho percorrido por Pimentel, repórteres de “O Globo” foram informados por industriais mineiros, amigos do ministro, de que ele andara fazendo palestras no interior do estado para sobreviver.
(E deve ter sobrevivido, porque o cachê era ótimo).
Mas a pista era falsa. Os repórteres percorreram todas as cidades do tal roteiro – e Pimentel também não havia estado em nenhuma delas.
A preocupação com o seu paradeiro aumentou com as notícias – estarrecedoras – sobre uma política protecionista retrógrada aplicada pelo Ministério do Desenvolvimento.
Ou seja: se o Ministério parou no tempo, e não foi por falta de combustível, o ministro também não deve estar na cabine de comando.
Fernando Pimentel se tornou um autêntico “Nowhere Man” – o homem de lugar nenhum, imaginado por John Lennon.
Mas Papai Noel há de encontrá-lo. Nem que seja no Ministério da Pesca
* Guilherme Fiúza

Conversa fiada de Dilma.

Há 15 dias, com toda sua prepotência, a presidente Dilma Rousseff afirmou categoricamente que não aceitaria a ingerência dos aliados nos ministérios, ao ser questionada sobre os casos de irregularidades que derrubaram ministros, entrou no surrealismo, declarando que ia  “exigir cada vez mais os critérios [de escolha e acompanhamento de sua equipe]”, acrescentando que “nenhum partido pode interferir nas relações de governo. Isso vale para qualquer partido”. Ainda teve a coragem de dizer com  uma grande cara de pau que seu governo é de “tolerância zero com mal feitos e atos de corrupção”.
Tudo fazendo lembrar o frase histórica proferida pelo larápio José Dirceu quando o mensalão começou a mostrar sua verdade: “Este é um governo que não rouba e nem deixa roubar”
A “presidenta” continuou com sua enganação “Não vou tolerar malfeito de um lado, mas também não vou criar caça às bruxas”.
Finalizando mostrou ter sido contaminada pelo governo anterior, pois não tendo como explicar as lambanças, botou a culpa na imprensa:  “Obviamente que escândalo vende mais jornal”.
Passados  15 dias Dilma resolveu dar uma marcha a ré no que dissera.
Não interessa o que dizem os números maquiados expostos pela propaganda chapa branca, o que interessa e que o Brasil perdeu o ano, nesse primeiro, do governo Dilma Rousseff.  Ela ultrapassou todas as fronteiras conhecidas da incompetência. Não há desculpa alguma, pois esteve dentro do governo Lula desde o primeiro dia (1/1/2003) e mais ainda, a partir de junho de 2005, quando passou a  ministra da Casa Civil, como tal,  obteve a fama de trabalhar enquanto Lula se divertia com suas trapalhadas. Isto quer dizer que conhecia muito bem as engrenagens do governo, bem como todos os ministros “herdados”, portanto não tem desculpa alguma para esse primeiro ano calamitoso de seu governo.
*Texto por Giulio Sanmartini

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Ex-presidente do STF critica liminar contra ação do CNJ

Foto: Agencia Brasil
A crise no Judiciário não opõe apenas a corregedora nacional de Justiça, Eliana Calmon, e as associações representativas de juízes. Ministro do Supremo Tribunal Federal e ex-presidente da Corte e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Gilmar Mendes criticou na sexta-feira, 23, as decisões isoladas tomadas por integrantes do Supremo que estancaram as ações investigativas da corregedoria nos Estados. Em entrevista ao Estado, Mendes afirmou que é necessário disciplinar a concessão de liminares por integrantes da Corte no último dia de trabalho antes do recesso do Judiciário. "As soluções nas liminares no final do ano são atípicas e heterodoxas", criticou Mendes. "É uma questão de ordem que precisamos discutir."
Na segunda-feira passada, último dia de funcionamento do STF neste ano, os ministros Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski atenderam a pedidos de associações de magistrados e deram liminares que levaram à suspensão de investigações do CNJ.
Agora, somente em fevereiro do ano que vem, quando o Supremo voltar do recesso, o relator do caso, Joaquim Barbosa, voltará a examinar a questão. A liminar atende a um pedido de associações de magistrados.
Na quarta-feira, o jornal Folha de S.Paulo mostrou que Lewandowski havia recebido pagamentos que estariam sendo investigados pela corregedoria do CNJ quando ele ainda fazia parte do TJ do Estado de São Paulo.
A informação colocou o ministro sob suspeição para analisar o pedido de liminar, já que a devassa no tribunal paulista havia começado em novembro. Cezar Peluso, presidente do STF, defendeu a concessão da liminar e, em nota, atacou o CNJ sugerindo que magistrados haviam tido seus sigilos quebrados.
Como resposta, na quinta-feira, 22, a corregedora Eliana Calmon disse que por trás da crise está um movimento corporativista para enfraquecer os poderes investigativos do CNJ. Na outra ponta da batalha, as associações de magistrados decidiram pedir formalmente que a corregedora seja investigada por suspeita de quebra de sigilos de juízes.
PlenárioPara Mendes, toda a crise poderia ter sido evitada. "O plenário (do STF) deveria ter decidido isso (os pedidos de liminares). Estava em pauta. Somente um fato superveniente justificaria a concessão da liminar (pelo relator). Criou-se esse clima emocional em torno do tema", afirmou Mendes. De acordo com o ministro, liminares em ações diretas de inconstitucionalidade somente devem ser concedidas pelo relator em situações de extrema urgência, ainda mais no último dia de funcionamento do Judiciário.
"Temos de encerrar com essa prática. Se poderia ter sido discutida em plenário, deveria ter sido discutida em plenário", disse Gilmar Mendes. "Que o relator suscite a urgência e peça ao presidente que coloque (em votação no plenário)", acrescentou. "Se o assunto tivesse sido resolvido pelo plenário, 11 ministros teriam participado da decisão e não apenas um, o relator, como ocorreu no episódio."
Mendes lamenta a falta de diálogo entre o CNJ e o STF, "que compartilham o mesmo presidente" - atualmente, Cezar Peluso. Para o ex-presidente do Supremo, se houvesse mais diálogo, não seria necessária a judicialização do debate. "É evidente que está faltando o mínimo de diálogo, que poderia levar a soluções harmoniosas", disse. Só nesta semana, por exemplo, o Supremo divulgou três decisões suspendendo atos do CNJ.
Segundo o ministro, as associações representativas de juízes foram parceiras no passado, na consolidação do CNJ. "É importante que elas entendam que têm uma participação importante na consolidação do CNJ e nas políticas institucionais do conselho", afirmou.
Mendes disse que no episódio ocorreu uma série de equívocos e que os ânimos se acirraram. "Houve um quadro de certa emocionalização", afirmou. "As posições se radicalizaram de tal maneira que levaram a esse resultado", opinou.
De acordo com a corregedora Eliana Calmon, Cezar Peluso e Ricardo Lewandowski não são investigados pelo CNJ. Ela negou que tenha ocorrido quebra de sigilos de juízes. O presidente do STF também integrou o TJ de São Paulo. Segundo informações divulgadas por ele próprio, ele chegou a receber até R$ 700 mil de passivo trabalhista.
Gilmar Mendes disse que não acredita que os colegas tenham praticado irregularidades em relação aos pagamentos. "Isso não tem o menor sentido." (O Esttado de S.Paulo, 23/12/11)

Verônica Serra desmonta os mercadores de reputações​.

Leiam, abaixo, a nota oficial de Verônica Serra, perseguida pela esgotosfera e pelos bandidos a serviços de petistas e de um certo tipo de tucano que coloca o seu projeto pessoal acima de qualquer coisa, inclusive da lei:

Nos últimos dias, têm sido publicadas e republicadas, na imprensa escrita e eletrônica, insinuações e acusações totalmente falsas a meu respeito. São notícias plantadas desde 2002 — ano em que meu pai foi candidato a presidente pela primeira vez — e repetidas em todas as campanhas posteriores, não obstantes os esclarecimentos prestados a cada oportunidade. Basta lembrar que, em 2010, fui vítima de quebra ilegal de sigilo fiscal, tendo seus autores sido indiciados pela Polícia Federal. E, agora, uma organizada e fartamente financiada rede de difamação dedicou-se a propalar infâmias intensamente através de um livro e pela internet. Para atingir meu pai, buscam atacar a sua família com mentiras e torpezas.
    1. Quais são os fatos?
    - Nunca estive envolvida nem remotamente com qualquer tipo de movimentação ilegal de recursos.
    - Nunca fui ré em processo nem indiciada pela Polícia Federal; fui, isto sim, vítima dos crimes de pessoas hoje indiciadas.
    - Jamais intermediei nenhum negócio entre empresa privada e setor público no Brasil ou em qualquer parte do mundo.
    - Não fui sócia de Verônica Dantas, apenas integramos o mesmo conselho de administração.
Faço uma breve reconstituição desses fatos, comprováveis por farta documentação.
    2. No período entre Setembro de 1998 e Março de 2001, trabalhei em um fundo chamado International Real Returns (IRR) e atuava como sua representante no Brasil. Minha atuação no IRR restringia-se à de representante do Fundo em seus investimentos. Em nenhum momento fui sua sócia ou acionista. Há provas.
    3. Esse fundo, de forma absolutamente regular e dentro de seu escopo de atuação, realizou um investimento na empresa de tecnologia Decidir. Como conseqüência desse investimento, o IRR passou a deter uma participação minoritária na empresa.
    4. A Decidir era uma empresa “ponto.com”, provedora de três serviços: (I) checagem de crédito; (II) verificação de identidade e (III) processamento de assinaturas eletrônicas. A empresa foi fundada na Argentina, tinha sede em Buenos Aires, onde, aliás, se encontrava sua área de desenvolvimento e tecnologia. No fim da década de 90, passou a operar no Brasil, no Chile e no México, criando também uma subsidiária em Miami, com a intenção de operar no mercado norte-americano.
    5. Era uma empresa real, com funcionários, faturamento, clientes e potencial de expansão. Ao contrário do que afirmam detratores levianos, sem provar nada, a Decidir não era uma empresa de fachada para operar negócios escusos. Todas e quaisquer transações relacionadas aos aportes de investimento eram registradas nos órgãos competentes.
    6. Em conseqüência do investimento feito pelo IRR na Decidir, passei a integrar o seu Conselho de Administração (ou, na língua inglesa, “Board of Directors”), representando o fundo para o qual trabalhava.
    7. À época do primeiro investimento feito pelo IRR na Decidir, o fundo de investimento Citibank Venture Capital (CVC) – administrado, no âmbito da América Latina, desde Nova Iorque – liderou a operação.
    8. Como o CVC tinha uma parceria com o Opportunity para realizar investimentos no Brasil, convidou-o a co-investir na Decidir, cedendo uma parte menor de seu aporte. Na mesma operação de capitalização da Decidir, investiram grandes e experientes fundos internacionais, dentre os quais se destacaram o HSBC, GE Capital e Cima Investments.
    9. Nessa época, da mesma forma como eu fui indicada para representar o IRR no Conselho de Administração da Decidir, a Sra. Veronica Dantas foi indicada para participar desse mesmo conselho pelo Fundo Opportunity. Éramos duas conselheiras (e não sócias), representando fundos distintos, sem relação entre si anterior ou posterior a esta posição no conselho da empresa.
    10. O fato acima, no entanto, serviu de pretexto para a afirmação (feita pela primeira vez em 2002) de que eu fui sócia de Verônica Dantas e, numa ilação maldosa, de que estive ligada às atividades do empresário Daniel Dantas no processo de privatização do setor de telecomunicações no Brasil. Em 1998, quando houve a privatização, eu morava há quatro anos nos Estados Unidos, onde estudei em Harvard e trabalhei em Nova York numa empresa americana que não tinha nenhum negócio no Brasil, muito menos com a privatização.
    11. Participar de um mesmo Conselho de Administração, representando terceiros, o que é comum no mundo dos negócios, não caracteriza sociedade. Não fundamos empresa juntas, nem chegamos a nos conhecer, pois o Opportunity destacava um de seus funcionários para acompanhar as reuniões do conselho da Decidir, realizadas sempre em Buenos Aires.
    12. Outra mentira grotesca sustenta que fui indiciada pela Polícia Federal em processo que investiga eventuais quebras de sigilo. Não fui ré nem indiciada. Nunca fui ouvida, como pode comprovar a própria Polícia Federal. Certidão sobre tal processo,  da Terceira Vara Criminal de São Paulo, de 23/12/2011, atesta que “Verônica Serra não prestou declarações em sede policial, não foi indiciada nos referidos autos, tampouco houve oferecimento de denúncia em relação à mesma.”
    13. Minhas ligações com a Decidir terminaram formalmente em Julho de 2001, pouco após deixar o IRR, fundo para o qual trabalhava. Isso ressalta a profunda má fé das alegações de um envolvimento meu com operações financeiras da Decidir realizadas em 2006. Essas operações de 2006 – cinco anos após minha saída da empresa – são mostradas num fac-símile publicado pelos detratores, como se eu ainda estivesse na empresa. Não foi mostrado (pois não existe) nenhum documento que comprove qualquer participação minha naquelas operações. Os que pretendem atacar minha honra confiam em que seus eventuais leitores não examinem fac-símiles que publicam, nem confiram datas e verifiquem que nomes são citados.
    14. Mentem, também, ao insinuar que eu intermediei negócios da Decidir com governos no Brasil. Enquanto eu estive na Decidir, a empresa jamais participou de nenhuma licitação.
Encerro destacando que posso comprovar cada uma das afirmações que faço aqui. Já os caluniadores e difamadores não podem provar uma só de suas acusações e vão responder por isso na justiça. Resta-me confiar na Polícia e na Justiça do meu país, para que os mercadores da reputação alheia não fiquem impunes.
* Coturno noturno

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Os honestos nada temem.

Calando a boca dos petistas.

video

Argentina faz o que o PT pretende fazer no Brasil.

O ataque do governo Kirchner à imprensa independente atingiu patamares venezuelanos, quiçá cubanos, nos últimos dias. A tentativa de calar o grupo Clarín vem desde o governo anterior do falecido Nestor Kirchner. Os meios usados são sempre truculentos, como na operação em que mais de 200 fiscais da Receita foram à sede do jornal para buscar qualquer indício de ilegalidade. Desta vez, a intenção é cortar a matéria-prima do jornal: o papel.
O senador Miguel Pichetto, líder da bancada governista, foi direto ao ponto: “O Clarín é inimigo do governo”. Simples assim. O governo não tolera críticas, e precisa usar – a abusar – das leis arbitrárias para impedir o trabalho destes “inimigos”. Outro senador governista explicou a lógica da medida que poderá aumentar a participação acionária do Estado na fornecedora de papel: “Se a lei levará ou não a uma expropriação não sabemos, ainda não fazemos futurologia. Mas se isso ocorrer, não será expropriada a liberdade de expressão, mas uma empresa”. Ah bom!
O que se passa na Argentina nos remete ao alerta feito por Hayek em seu brilhante O Caminho da Servidão, onde o economista austríaco demonstra que a liberdade econômica é fundamental para preservar a liberdade política. Em outras palavras, se o governo pode intervir de forma arbitrária na economia, ele pode manter qualquer um como refém. Basta ele ser dono de uma simples fornecedora de papel, por exemplo, para ele controlar toda a mídia impressa. O cão não morde a mão que o alimenta.
Os lamentáveis, porém previsíveis acontecimentos argentinos devem servir de alerta aos brasileiros. O governo petista, antes com o presidente Lula e agora com Dilma, vem tentando expandir os tentáculos estatais na economia, infelizmente com sucesso. E o controle da imprensa independente tem sido uma verdadeira obsessão de muitos petistas. Se os argentinos, mais educados que nós na média, não foram capazes de evitar tal destino trágico, o que garante que nós iremos escapar desta sina?
Toda mobilização será necessária para proteger a liberdade de imprensa por aqui. Afinal, sabemos que aquilo que a Argentina está conseguindo fazer é a meta de muitos petistas. Alguns devem inclusive estar com baba de inveja escorrendo pelo canto da boca, sonhando com o dia em que a revista Veja e os jornais O Globo e Estadão dependerão da aprovação do governo para obter papel.
*Texto por Rodrigo Constantino

Com a faca no pescoço???

Às nove e meia da noite de 28 de agosto de 2007, o ministro Ricardo Lewandowski chegou ao restaurante em Brasília ansioso por comentar com alguém de confiança a sessão do Supremo Tribunal Federal que tratara da denúncia do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, sobre o escândalo do mensalão. Por ampla maioria, os juízes endossaram o parecer do relator Joaquim Barbosa e decidiram processar os 40 acusados de envolvimento na trama. Sem paciência para esperar o jantar, Lewandowski deixou a acompanhante na mesa, foi para o jardim na parte externa, sacou o celular do bolso do terno e, sem perceber que havia uma repórter da Folha por perto, ligou para um certo Marcelo. Como não parou de caminhar enquanto falava, a jornalista não ouviu tudo o que disse durante a conversa de 10 minutos. Mas qualquer das frases que anotou valia manchete.
“A tendência era amaciar para o Dirceu”, revelou de saída o ministro, que atribuiu o recuo dos colegas a pressões geradas pelo noticiário jornalístico. “A imprensa acuou o Supremo”, queixou-se. Mais algumas considerações e o melhor momento do palavrório: “Todo mundo votou com a faca no pescoço”. Todo mundo menos ele: o risco de afrontar a opinião pública não lhe reduziu a disposição de amaciar para José Dirceu, acusado de “chefe da organização criminosa”. Só Lewandowski ─ contrariando o parecer de Joaquim Barbosa, a denúncia do procurador-geral e a catarata de evidências ─ discordou do enquadramento do ex-chefe da Casa Civil por formação de quadrilha. “Não ficou suficientemente comprovada a acusação”, alegou. O mesmo pretexto animou-o a tentar resgatar também José Genoíno. Ninguém divergiu tantas vezes do voto de Joaquim Barbosa: 12. Foi até pouco, gabou-se na conversa com Marcelo: “Tenha certeza disso. Eu estava tinindo nos cascos”.
Ele está tinindo nos cascos desde 16 de março de 2006, quando chegou ao STF 26 dias antes da denúncia do procurador-geral. Primeiro ministro nomeado por Lula depois do mensalão, Lewandowski ainda não aprendera a ajeitar a toga nos ombros sem a ajuda das mãos quando virou doutor no assunto. Para tornar-se candidato a uma toga, bastou-lhe a influência da madrinha Marisa Letícia, que transmitiu ao marido os elogios que a mãe do promissor advogado vivia fazendo ao filho quando eram vizinhas em São Bernardo. Mas só conseguiu a vaga graças às opiniões sobre o mensalão, emitidas em encontros reservados com emissários do Planalto. Ele sempre soube que Lula não queria indicar um grande jurista. Queria um parceiro de confiança, que o ajudasse a manter em liberdade os bandidos de estimação.
Passados mais de quatro anos, Lewandowski é o líder da bancada governista no STF ─ e continua tinindo nos cascos, comprovou a recente entrevista publicada pela Folha. Designado revisor do voto do relator Joaquim Barbosa, aproveitou a amável troca de ideias para comunicar à nação que os mensaleiros não seriam julgados antes de 2013. “Terei que fazer um voto paralelo”, explicou com o ar blasé de quem chupa um Chicabon. “São mais de 130 volumes. São mais de 600 páginas de depoimentos. Tenho que ler volume por volume, porque não posso condenar um cidadão sem ler as provas. Quando eu receber o processo eu vou começar do zero”. Como o relatório de Joaquim Barbosa deveria ficar pronto em março ou abril, como precisaria de seis meses para cumprir a missão, só poderia concluir seu voto no fim de 2012. O atraso beneficiaria muitos réus com a prescrição dos crimes, concedeu, mas o que se há de fazer? As leis brasileiras são assim. E assim deve agir um magistrado judicioso.
A conversa fiada foi bruscamente interrompida por Joaquim Barbosa, que estragou o Natal de Lewandowski e piorou o Ano Novo dos mensaleiros com o presente indesejado. Nesta segunda-feira, o ministro entregou ao revisor sem pressa o relatório, concluído no fim de semana, todas as páginas do processo e um lembrete desmoralizante: “Os autos do processo, há mais de quatro anos, estão digitalizados e disponíveis eletronicamente na base de dados do Supremo Tribunal Federal”, lembrou Barbosa. Lewandowski, portanto, só vai começar do zero porque quis. De todo modo, o que disse à Folha o obriga a terminar a tarefa no primeiro semestre. Se puder, vai demorar seis meses para formalizar o que já está resolvido há seis anos: vai absolver os chefes da quadrilha por falta de provas.
As sucessivas manobras engendradas para adiar o julgamento confirmam que os pecadores não estão convencidos de que a bancada governista no STF é majoritária. Ficarão menos intranquilos se Cezar Peluso e Ayres Brito, que se aproximam da aposentadoria compulsória, forem substituídos por gente capaz de acreditar que o mensalão não existiu. Para impedir que o STF faça a opção pelo suicídio moral, o Brasil decente deve aprender a lição contida na conversa telefônica de 2007. Já que ficam mais sensatos com a faca no pescoço, os ministros do Supremo devem voltar a sentir a carótida afagada pelo fio da lâmina imaginária.
* Texto por Augusto Nunes

Ex-deputados recebem bolada em Pernambuco

Legislativo autoriza pagamento de reajuste de auxílio-moradia referente aos anos 1994-1998
RECIFE. O Natal será mais gordo para 52 políticos pernambucanos - 50 ex-deputados estaduais e dois ainda no exercício do mandato. Nos últimos quatro meses, eles receberam um total de R$979,9 mil, como parte de um reajuste de auxílio-moradia, benefício que se estenderá, ainda, por 28 parcelas, cujos valores variam de R$19.045 a R$23.611. A medida beneficia quem integrou a bancada da Assembleia Legislativa entre 1994 e 1998. Nem foi preciso recorrer ao Judiciário para conseguir o dinheiro, que sairá dos cofres da própria Assembléia.
A lista de beneficiários tem políticos de diversos partidos, como o senador Humberto Costa (PT) e o deputado federal José Mendonça Filho (DEM). Ainda inclui conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), prefeitos e deputados federais. A decisão foi tomada em 23 de dezembro de 2010, mas os desembolsos só começaram a ser feitos em setembro deste ano por decisão administrativa do presidente da Assembleia, Guilherme Uchoa (PDT).
Uchoa tomou como base a Constituição Federal e a Lei 8448/92, que garantem isonomia e equivalência na remuneração entre os três poderes.
- Se for constatada a legalidade, no mínimo estamos diante de uma imoralidade. Trata-se de um abuso aos princípios que regem a atividade pública, como os da moralidade e da transparência. A nossa perplexidade é que a decisão partiu deles, para favorecer a si mesmos. Pode ser legal, mas nem tudo que é legal é justo - criticou Catarina Oliveira, presidente em exercício da seccional pernambucana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
- A Mesa Diretora não fez nada escondido, nada ilegal nem nada irresponsável. Estamos seguindo uma orientação da Procuradoria da Casa. E a medida não nos beneficia, porque, do período em questão, só há dois deputados que ainda exercem mandato - retrucou Uchoa.
Uchoa disse que o mesmo pagamento está sendo recebido pelos tribunais de Justiça e de Contas e pelo Ministério Público de Pernambuco.
Assembleia seguiu exemplo de entidades de juízes
Em nota publicada como matéria paga nos jornais de quinta-feira, a Assembleia Legislativa confirmou o pagamento. Mas alega que está seguindo o que outras esferas de Poder fizeram. "Tais requisitos foram delineados por decisões definitivas proferidas pelo Supremo Tribunal Federal, pelo Superior Tribunal de Justiça, pelo Conselho Nacional do Ministério Público e ainda pelo Conselho Nacional de Justiça, em respeito à legislação infraconstitucional e também constitucional e com vistas a preservar a isonomia entre os poderes, e sobretudo, a equivalência remuneratória", assegurada, segundo a nota, pela Constituição Federal e pela Lei 8.448/92".
Pela legislação, um deputado estadual tem vencimentos equivalentes a 75% dos deputados federais. Advogado dos beneficiados, Eduardo Pugliesi disse que sequer foi necessários recorrer à Justiça. Explicou que, depois que o salário-moradia foi incorporado aos subsídios dos parlamentares federais, as associações dos Juízes Federais e dos Magistrados Brasileiros impetraram mandados de segurança pedindo o mesmo direito, em caráter retroativo, para o período de 1994 a 1998. Depois, até os ministros do Supremo incorporaram o auxílio.
*Letícia Lins - 0 GLOBO - 25/12/2011

Conheça Eliana Calmon.

domingo, 25 de dezembro de 2011

A caminho do totalitarismo.

A presidente Dilma Rousseff (PT) chega ao final de seu primeiro ano no poder com a menor oposição na Câmara desde a Constituição de 1988, informa reportagem de Silvio Navarro e Uirá Machado, publicada no Jornal Folha de São Paulo.
Os quatro partidos que hoje se opõem sistematicamente ao governo --PSDB, DEM, PPS e PSOL-- somam 91 cadeiras, o equivalente a 17,5% da Casa.
O percentual é quase metade do que Lula enfrentou após sua reeleição (30,5%).
Do outro lado, entre os aliados, a base de sustentação da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados foi menos fiel ao governo em seu primeiro ano de mandato do que a de seus antecessores, Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique, conforme mostrou reportagem da Folha deste sábado (24). ( Folha online)
COMENTO: Não tenho dúvida que isto se deve ao "toma lá da cá" no Congresso, ao aparelhamento do Estado e a oposição apática, letárgica, cuja astenia nos causa asco.
Estamos vivendo um período onde a mentira prospera, onde a injúria prevalece diante da verdade. A infâmia e o intersse imediatista caracteriza as ações no meio político e na mídia comprada com nossos impostos.

Islâmicos atacam igrejas católicas na Nigéria

Homens observam carro destruido pelo fogo, após atntado á uma igreja
Uma seita radical islâmica clamou a responsabilidade pelos ataques perpetrados perto de igrejas católicas na Nigéria neste domingo, que deixaram ao menos 25 pessoas mortas. O anúncio foi feito pelo porta-voz do grupo Boko Haram na cidade de Maiduguri, sede do movimento.
Uma explosão em uma igreja católica na Nigéria deixou ao menos 25 mortos neste domingo de Natal, informaram as autoridades do país. O incidente ocorreu durante uma missa em celebração às festividades natalinas em uma cidade próxima à capital, Abuja.
Pouco tempo depois, uma segunda explosão foi relatada perto de uma igreja na cidade central de Jos. Mais três novas explosões foram registradas no nordeste da Nigéria: duas na cidade de Damaturu e uma terceira, no sábado à noite, contra uma igreja em Gadaka, segundo testemunhas. ( Folha online)

Humor vermelho.

Arte: fiqueligado.com.br
PC do B supera o melhor site de humor da política brasileira

Pois é… Desta vez, nem o melhor, mais inteligente e mais engraçado site de humor político, o  “Vanguarda Popular”, superou o PC do B — no humor, é claro! O elogio feito pelo partido brasileiro a Kim Jong-Il, ditador da Coréia do Norte morto no sábado, deixa no chinelo qualquer ironia, qualquer galhofa, qualquer piada. Esquerdistas mundo afora já disseram quase tudo da Coréia do Norte, mas a ninguém ocorreu chamar aquele país de “próspero” ou afirmar que a ditadura comunista tentou a reunificação das duas Coréias, lutando pela paz.
Vejam o que escreveu o “Vanguarda Popular”, com a graça habitual:
“A morte do camarada Kim é, por isso, uma perda excepcionalmente pesada, não apenas para o bravo povo Norte-Coreano, que, graças ao companheiro Kim, se libertou das cadeias da escravidão capitalista, mas também para os trabalhadores do mundo inteiro, para os maconheiros da USP e para toda a humanidade progressista.”
Agora leiam o que escreveu o PC do B tentando afetar seriedade:
“O camarada Kim Jong Il deu continuidade ao desenvolvimento da revolução coreana, inicialmente liderada pelo camarada Kim Il Sung, defendendo com dignidade as conquistas do socialismo em sua pátria. Patriota e internacionalista promoveu as causas da reunificação coreana, da paz e da amizade e da solidariedade entre os povos.”
O que é mais risível?
Ao vencer o “Vanguarda Popular” no humor, o PC do B emula com a seriedade de uma dupla que parecia imbatível: a TV estatal norte coreana, a KCTV, e o jornal eletrônico cubano www.granma.cu!!!
*Texto por Reinaldo Azevedo

O Judiciário precisa ser passado a limpo...

O Judiciário precisa ser passado a limpo e se tornar um poder efetivamente democrático no Brasil. Hoje, infelizmente, o sistema criminoso se aproveita dele. Isto não pode perdurar. Precisamos do Judiciário, de verdade, para o redesenho institucional do Brasil. O que está em vigor já apodreceu. Uma hora vai cair. Pode ser daqui pouco, daqui a seis meses, daqui a 100 anos ou a qualquer instante.
Repito o que já escrevi por aqui. Alguém duvida que o Governo do Crime Organizado no Brasil conta com a conivência e leniência de membros Judiciário para se perpetuar e prosperar? A lentidão na punição aos corruptos, gerando uma sensação objetiva de impunidade, é um incentivo permanente à roubalheira sistêmica. No País que tem mais de 183 mil normas legais em vigor, a injusta insegurança do Direito é perfeita para a prática constante de golpes institucionais e crimes (comuns ou políticos) de toda espécie.
Enquanto os semideuses do Judiciário se enfrentam e os supostos poderosos cometem autofagia, o cidadão brasileiro sofre mais um golpe. Culpa da mafiosa Indústria das Multas de Trânsito – fonte pagadora de muitos mensalões e instrumento do laboratório de maldades de Engenharia Social. Agora, os órgãos de trânsito não são mais obrigados a avisar sobre a existência de radares em vias urbanas e rodovias com fiscalização eletrônica.
*Texto por Jorge Serrão

sábado, 24 de dezembro de 2011

Um natal de paz para todos!

Que neste natal a esperança se renove!

Que a alegria do natal nos traga amor e felicidades!

Dívida pública federal sobe para R$ 1,8 trilhão de Reais.

A Dívida Pública Federal (interna e externa) aumentou 1,15% em novembro, atingindo R$ 1,83 trilhão, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (21) pela Secretária do Tesouro Nacional. No mês de outubro, ela foi de R$ 1,8 trilhão.
A variação é resultado da emissão líquida no valor de R$ 5,66 bilhões. As emissões de títulos públicos somaram R$ 39,96 bilhões em novembro e os vencimentos totalizaram R$ 34,3 bilhões.
O relatório revelou também o crescimento de 1,15% da dívida interna em novembro, atingindo R$ 1,75 trilhão. Em outubro, a dívida interna estava em R$ 1,73 trilhão.
Sobre uma possível flexibilização do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) para detentores não residentes de títulos, o coordenador de operações da Dívida Pública do Tesouro Nacional, José franco de morais, afirmou que não há previsão para flexibilizar o imposto.
"Atualmente o IOF está em 6% e uma grande mudança não é benéfica. A estratégia é não ficar mudando a cada momento e sim ter uma visão estruturada de longo prazo", afirmou o coordenador.
Segundo Morais, a parcela de detentores não residentes é relativamente pequena, por volta de 11%, e o Brasil não tem uma necessidade muito grande de investidores externos para rolagem da dívida pública.
(Folha online)

A falência do comunismo, em Cuba, leva Raul Castro a atitudes "humanitárias"...

O Governo cubano anunciou que concederá indultos "por razões humanitárias" a mais de 2,9 mil presos nos próximos dias, além de antecipar a libertação de 86 estrangeiros de 25 países, informou o presidente Raúl Castro em discurso na Assembleia Nacional.
Castro ressaltou que o indulto será efetivo "nos próximos dias", como mais uma "mostra da generosidade e da fortaleza da revolução".
A medida corresponde 'à política estabelecida' e às 'diversas solicitações de familiares e de várias instituições religiosas'.
'Não se incluem neste benefício, salvo contadas exceções, punidos por delitos de espionagem, terrorismo, assassinato, homicídio, tráfico de drogas, pedofilia com violência, roubo com força em imóvel habitado, violação e corrupção de menores', ressalta um comunicado oficial do Conselho de Estado.
O texto ainda destaca que serão postos em liberdade alguns condenados por delitos contra a Segurança do Estado e que em todos os casos os indultados cumpriram grande parte da pena na prisão e mostrando um bom comportamento.
'Trata-se de um gesto humanitário e soberano, segundo as características dos crimes cometidos, a boa conduta mantida na cadeia, a idade e as doenças que sofrem, assim como o tempo já cumprido de suas penas', esclarece o Governo.
O comunicado acrescenta que na lista destacam-se pessoas com mais de 60 anos, doentes, mulheres e jovens sem antecedentes penais, que obtiveram um ofício e elevaram seu nível cultural e a possibilidade de reinserção social.
No caso das libertações de estrangeiros condenados por delitos cometidos em Cuba, entre eles 13 mulheres, Castro explicou que sairão 'sob a condição prévia de que os Governos de suas nações de origem aceitem sua repatriação'.
O presidente sustentou que nesta ocasião também levou em conta 'múltiplas solicitações' de familiares e de diversas instituições religiosas, observando ainda a anunciada visita do papa Bento XVI, em março de 2012.
A medida é o maior indulto realizado pelo Governo desde 1998, quando foram soltos mais de 200 presos por conta da visita do papa João Paulo II à ilha.
Em abril de 2008, Fidel Castro anunciou a comutação da pena de morte de vários presos comuns, que foi substituída por penas de prisão perpétua ou de 30 anos, em consonância com uma política aplicada desde 2000 e interrompida em 2003, quando foram executados três sequestradores.
Entre julho de 2010 e no começo deste ano, o regime cubano abriu um processo de libertações de presos políticos que contou com a mediação da Igreja Católica da ilha e do Governo da Espanha e soltou 126 pessoas. (Agência EFE, via Abril.com)

As melhores frases e citações do ano.

"...nós precisamos ter presente...os tempos mudaram...os idiotas chegavam devagar e ficavam quietos. O que se percebe hoje... é que os idiotas perderam a modéstia. E nós temos de ter tolerância e compreensão também com os idiotas, que são exatamente aqueles que escrevem para o esquecimento”. (Nelson Jobim)

Presentes para o cidadão brasileiro decente.

Mancada comunista.

Ao emitir uma emocionada nota de pesar pelo falecimento do ditador da Coréia do Norte Kim Jong II, o PCdoB, por portas e travessas, deixa claro os motivos dessa “fidelidade canina”  com que se solidariza com os petralhas, diante dos “malfeitos” cometidos pelos governos de Lulla e Dilma Roussef.

STF X CNJ. O saco de gatos da IN justiça Tupiniquim.

É meus caros, dizem que a justiça é cega, mas os representates dela na pocilga tem um olho. E em terra de cego quem tem um olho...
Diante dessa situação em que se encontra o judiciário brasileiro chego a conclusão que quem é cego de verdade é a população brasileira que além de tudo é muda e covarde.
Juízes investigados por receberem "uns por fora" quando nos tribunais estaduais. Hoje são ministros do aparelhado STF, a mais alta corte do país. Desde a eleição do EX presidente o Enfermo Defuntus Sebentus que o STF que já não era lá grande coisa, só tem mostrado que é um tribunal duvidoso e seus julgamentos não tão justos aos olhos da opinião pública.
O caso do mensalão tá ai e não me deixa mentir. O EX presidente aparelhou o STF de maneira que os crimes cometidos pela cambada das Ratazanas Vermelhas sejam empurrados com a barriga até a odiosa prescrição.
Entre outras decisões polêmicas, como a não obrigatoriedade do título de eleitor para votar, e o casamento gay decidido e julgado a toque de caixa em período pré eleitoral, os casos, Cacciolla, Battisti, Daniel Dantas entre outros.
 Vemos muitos julgamentos polêmicos sendo decidido nas coxas apenas para "ajudar" nas eleições de certos grupos PolíTicos, sé é que vocês me entendem.
Agora começa uma briga absurda entre o CNJ e o STF por conta de maracutaias em que estão envolvidos alguns membros da mais alta corte do país.
Magistrados de SP são acusados de não declararem imposto de renda ou de incompatividade entre seus ganhos e seus gastos e patrimônio. A justiça brasileira está podre, assim como TODAS as instituições públicas deste país, e olhem que não importa o partido que governa o estado, TODOS estão comprometidos com as irregularidades e nas falcatruas.
Se a justiça está enrolada em um imoral corporativismo para poroteger aos seus membros acusados de não serem "tão" honestos e zelosos com a constituição assim. E se o STF está visivelmente ajoelhado e servindo de braço legal para acobertar as picaretagens que os aliados do governo fedemal estão envolvidos. É chegada a hora de uma reviravolta neste país, passou da hora dessa população futebolista, burra e inerte ir as ruas e pedir seriedade e transparência com a punição exemplar de todos aqueles que sugam mais de 6 bilhões por ano só em corrupção e desvios de dinheiro público. Passou da hora deste povo acordar.
Mas um povo que diz que se estivesse lá faria a mesma coisa não vai ter interesse em mudar porra nenhuma. O nosso problema é cultural.
Estamos vivendo um momento muito delicado em nosso país. O momento em que nem a justiça é séria, onde, se não podemos confiar na justiça, em quem mais poderemos confiar?
 Para onde quer que se olhe vemos corrupção e bandalheira, o Brasil está entregue às ratazanas, aos bandoleiros e bucaneiros que saqueiam não só as nossas riquezas, mas saqueiam a nossa dignidade e futuro como nação.
Estamos chegando ao fundo do poço moral e ético, e depois do fundo o que virá? ( O mascate )
COMENTO: O Castelo lembra-me de quando o "molusco apedeuta", em seus discursos que representava a única ação típica e própria de seu governo,  falava sobre "abrir a caixa preta da Justiça".
Decerto seria uma tentativa inicial de desmoralizar a justiça.Isto é uma das formas da esquerda se estabelecer: Desmoralizando as instituições.
No entanto, hoje, vemos que alguns membros do Judiciário não se preocupam, o mínimo, em destituir os argumentos do apedeuta e procedem de forma reprovável.
A Justiça precisa ser digna da necessária credibilidade. Para a democracia uma Justiça forte e respeitável é imprescindível.

Americano dado como morto, acorda repentinamente.

O jovem Sam Schmid após deixar o coma (à esquerda) e durante o coma. (Foto: ABC News / Reprodução)

Médicos julgavam que o norte-americano Sam Schmid tinha morte cerebral.Aparelhos que o mantinham vivo seriam desligados caso ele não acordasse.
O norte-americano Sam Schmid deixou o estado de coma horas antes dos médicos de um hospital em Phoenix desligarem os aparelhos que o mantinham vivo. Estudante de 21 anos na Universidade do Arizona, ele sofreu um acidente de carro no dia 19 de outubro de 2011 e estava sob os cuidados do Instituto Neurológico Barrow no Centro Médico St. Joseph. As informações são do telejornal "Good Morning America".
Após o acidente, os ferimentos do jovem eram tão graves que o hospital em Tucson, a cidade onde ocorreu o acidente, não tinha condições de tratá-los. Transferido para a capital do estado, Phoenix, Schmid passou por uma cirurgia para cuidar de um aneurisma -- uma dilatação na parede das artérias do cérebro -- que poderia matá-lo. Ele ainda teve a mão esquerda e dois fêmures quebrados. A batida ainda deixou um amigo e colega de quarto morto.
A cirurgia controlou o aneurisma, mas o paciente não apresentava sinais de melhora. Desesperançosos com as chances de Schmid sobreviver, os médicos acreditavam que o norte-americano caminhava para uma morte cerebral. Para o neurocirurgião Robert Spetzler, conhecido nos Estados Unidos e responsável por mais de seis mil operações, a recuperação repentina foi quase um milagre.
Professor do médico que cuidou da congressista norte-americana Gabrielle Giffords em janeiro, Spetzler lista os problemas no cérebro de Schmid: aneurisma, hemorragia e um derrame que não chegou a afetar as áreas mais vitais do órgão.
Mas o médico desconfiou do fato de Schmid não ter apresentado lesões mais sérias e solicitou exames de ressonância magnética. Os resultados mostravam que as áreas críticas do cérebro não estavam escurecidas -- sinal de que houve morte cerebral -- o que fez Spetzler manter Schmid vivo por mais algum tempo.
 Enquanto os médicos discutiam o delicado tema da doação de órgãos com a família, Schmid mexeu dois dedos. Agora, ele já consegue caminhar com ajuda de um andador e sua voz, apesar de lerda, melhora a cada dia. A equipe que cuida do norte-americano crê que ele terá uma recuperação completa.
Ao falar pela primeira vez após o acidente, Schmid diz não se lembrar da batida e afirma somente se lembrar do momento em que "acordou" no hospital. O jovem universitário agora espera poder passar o Natal com a família, longe de um centro médico. (Do G1, em São Paulo)

Justiça e seus maus exemplos?

Estranhamente, no Estado de São Paulo, 45% dos juízes descumpriram a lei e não apresentaram, no ano passado e em 2009, suas declarações de Imposto de Renda – obrigação imposta pela Receita Federal a todos os mortais. Outros 150 magistrados paulistas tiveram movimentação financeira atípica, embolsando mais de R$ 250 mil por ano. O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão do Ministério da Fazenda, estranhou o fato e comunicou ao Conselho Nacional de Justiça.
Tão ou mais grave que a sonegação de informações fiscais dos juízes paulistas é a omissão dos togados do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. A Receita Federal entrou em alerta porque nenhum dos magistrados de lá fez a declaração anual nos anos de 2009 e 2010 – conforme manda a Lei. Estas revelações do Conselho Nacional de Justiça indicam que podem existir mais coisas por debaixo dos mistérios togados do que pode supor a vá filosofia de qualquer corregedor ou simples cidadão.
A corregedora Eliana Calmon afirmou que as movimentações atípicas não necessariamente constituem irregularidades. Após essa verificação, os tribunais serão procurados e suas corregedorias internas acionadas para prestar eventuais esclarecimentos. A corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, esclareceu ontem que, apesar da liminar do Supremo Tribunal Federal, o trabalho de sua equipe não vai parar. Autora da polêmica expressão “bandidos de toga”, que feriu o sensível corporativismo de seus colegas, Eliana voltou a pregar que é preciso fiscalizar a magistratura para contribuir com o fim da corrupção no Brasil.
Eliana Calmon rebateu, duramente, as acusações das associações de juízes de que teria acessado dados bancários dos magistrados sem autorização judicial. A corregedora garantiu que não teve acesso aos dados bancários dos magistrados – o que seria um crime de quebra de sigilo. Explicou que o monitoramento da evolução patrimonial dos juízes brasileiros é feito pelo CNJ há quatro anos, com base na emenda constitucional que criou o órgão.
Eliana ponderou que as movimentações atípicas não necessariamente constituem irregularidades. Segundo a corregedora, heranças recebidas ou eventual uma venda de imóvel podem representar ganho legal acrescentado à renda normal do magistrado. Eliana interrompeu suas férias e voltou a Brasília para esclarecer toda a confusão criada pelo STJ e pelas associações que representam os magistrados (Ajufe , a AMB e Anamatra). A corregedora denunciou que o “verdadeiro ovo da serpente” é a intenção destas entidades em tentar comprometer a “sobrevivência com autonomia do CNJ”.
O Império contra-ataca
Ajufe, a AMB e Anamatra pedirão à Procuradoria Geral da República para investigar a ministra-corregedora Eliana Calmon.
As entidades também vão pedir ao presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal, ministro Cezar Peluso, que instaure uma investigação na corregedoria do conselho para apurar a suposta quebra do sigilo de dados de 231 mil juízes, servidores de tribunais e parentes, sem ordem judicial – fato criminoso que ontem foi negado pela corregedora.
Perante a opinião pública, a imagem das entidades corporativas dos magistrados já está com o filme queimado.
Bem com a prelazia
Eliana Calmon recebeu um recado divino de solidariedade.
Poderosas figuras do mundo jurídico, ligadas à prelazia papal Opus Dei, estão com ela e não abrem na luta contra a corrupção no Judiciário.
Quem está devendo, principalmente no TJ-SP, já ficou apavorado com este apoio político.
Pegando mal
No meio político, soaram muito mal as palavras do presidente do STJ e do CNJ,colocando os ministros do supremo absolutamente acima do bem e do mal.
Cezar Peluso escreveu que “nos termos expressos da Constituição, a vida funcional dos ministros do Supremo Tribunal Federal não pode ser objeto de cogitação, de investigação ou de violação de sigilo fiscal e bancário por parte da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça”.
No retorno do recesso do Congresso, já tem Senador pensando em aprovar logo a Emenda Constitucional 97 que disciplinará, de uma vez por todas, o papel do CNJ.
Boa oportunidade
O Senado vai romper seu sagrado recesso, na próxima quarta-feira, por um motivo totalmente atípico.
Só para dar posse ao paraense Jader Barbalho (PMDB), que tinha sido barrado pela Ficha Limpa, mas que conseguiu o mandato de volta por decisão do Supremo Tribunal Federal.
O riquíssimo Jader terá direito a embolsar R$ 30 mil e 200 reais – a soma do bônus de R$ 26 mil 720 reais pagos a cada senador no começo e no fim do ano legislativo, junto com os outros R$ 3 mil 336 reais pelos supostos “quatro dias de trabalho” do senador, em dezembro.
Já que vão abrir o Senado para tão nobre finalidade, por que não fazem uma sessão para votar logo a Emenda 97?
*Texto por Jorge Serrão na edição do Alerta Total – http://www.alertatotal.net